• 85988083530

Ararinha nobre

Diopsittaca nobilis (somente para retirada em Fortaleza)

mais informações

Ararinha nobre

Diopsittaca nobilis (somente para retirada em Fortaleza)

mais informações

Sexo

Fêmea

Macho

Sexo indefinido

As combinações acima não possuem estoque.

Só temos 31 em estoque. Adicionamos todos em seu carrinho. Compre logo antes que acabe!

por: R$ 2.400,00

ou por 8x de R$ 379,74 com juros

Quantidade

+

-

Adicionar ao Carrinho

Frete e prazo

Frete e prazo

calcular

Não sei meu cep

PRODUTOS RELACIONADOS

Produtos Relacionados

Descrição do Produto

Nome científico: Diopsittaca nobilis

 

Outras denominações: Ararinha nobre, Arara-nanica e Maracanã

 Ave pertencente à família dos psitacídeos. Reconhecem-se, atualmente, três subespécies nesta espécie sul-americana, entre as quais Ara nobilis nobilis, que se encontra no Leste da Venezuela, nas Guianas e no Norte do Brasil. As outras duas subespécies distribuem-se pelo Nordeste e Centro do Brasil, o Sudeste do Peru e o Nordeste da Bolívia.

 Tamanho: 30 cm

 Peso: 130 - 170 g

Expectativa de vida: 30 - 40 anos

 Características: São os menores representantes das araras. A plumagem tem cor predominantemente verde-viva, mas a fronte é azulada e apresentam uma mancha vermelha na parte superior da dobra das asas (“ombro”). As partes inferiores das asas e da cauda têm cor amarela. Possuem pele nua de cor branca, nas faces. O bico é preto. As patas são zigodáctilas (têm dois dedos virados para a frente e dois dedos virados para trás; em geral, as aves apresentam três dedos virados para a frente e um para trás). Não existem características físicas que diferenciem machos e fêmeas (dimorfismo sexual).

 Distribuição geográfica: Ocorre desde a Venezuela e Suriname ao Brasil (Mato Grosso, Goiás, São Paulo e Estados do Nordeste).

 Habitat: Cerrados, palmeiras e beira de mata.

 Alimentação: Alimentam-se de sementes, flores, frutos, bagas e plantas de cultivo.

Reprodução: A postura é de cerca de quatro ovos, que são incubados durante 24 dias apenas pela fêmea. As crias são altriciais (totalmente dependentes dos pais durante os primeiros tempos de vida). Os filhotes só saem do ninho depois dos dois meses de idade.